ALEXANDRE BAXTER & NIURA BELLAVINHA

Nhá Nhá

Em cidades mineiras – desocupadas pela ação violenta e abusiva de mineradoras – nas paisagens quase desérticas, atravessadas pela destruição e pela poeira densa, elementos etéreos, como ar e luz, ganham peso e, em sua dinâmica, a materialidade de uma pintura efêmera e trágica, formada nas latências do próprio tempo que, ainda assim, passa

In the mining towns of Minas Gerais State, Brazil – unoccupied by the violent and abusive action of mining companies – in the almost desert landscapes, crossed by destruction and dense dust, ethereal elements such as air and light gain weight and, in their dynamics, the materiality of an ephemeral and tragic painting, formed in the latencies of the very time that still passes.

 

alexandrebaxter/filmes
Brasil